Desafios educacionais

Os desafios educacionais de 2022

Os desafios educacionais de 2022 são muitos, principalmente em relação ao retorno às atividades presenciais, após um longo período de aulas remotas. No entanto, esses desafios também apresentaram oportunidades para repensar as práticas de ensino, o uso da tecnologia e o envolvimento dos estudantes no processo de aprendizagem.

Vale destacar que os desafios estão presentes em todo o sistema educacional. Entretanto, a depender do tipo da instituição e da etapa e modalidade de ensino, diferentes graus de dificuldades são enfrentados. Nas escolas públicas, por exemplo, as taxas de abandono escolar cresceram de forma alarmante na pandemia. A redução da renda familiar e os problemas de acesso tecnológico podem ser apontados como fatores preponderantes nesse quadro.

A educação é imprescindível para o desenvolvimento social de qualquer nação, logo, qualquer tipo de atraso implica prejuízos coletivos. Nesse sentido, gestores, diretores, professores, educadores e comunidade devem se unir no propósito de pensar soluções para superar os desafios apresentados em 2022, dentre eles a evasão escolar.

Reintegração dos estudantes e da família à escola

Depois de mais de um ano de ensino remoto ou híbrido, o retorno dos estudantes ao ambiente escolar não acontece de forma natural, mas necessita de esforços mútuos para uma readaptação. O período atípico da pandemia da COVID-19 trouxe questões complexas que refletiram na relação com a escola. Muitas famílias sofreram fortes impactos, seja pela perda de familiares ou pela diminuição de rendimentos financeiros, além do distanciamento que afetou o aprendizado e a socialização.

A escola tem que estar preparada para acolher as demandas particulares de cada estudante, bem como as dificuldades que se apresentarem em decorrência destas. Ao tempo em que as famílias devem reordenar seus horários, a rotina e o acompanhamento contínuo do processo de ensino-aprendizagem. Os vínculos entre escola e família devem ser estimulados e fortalecidos para que os danos educacionais sejam mitigados.

Preencher lacunas na aprendizagem

A defasagem na aprendizagem pode ser apontada como uma consequência bastante negativa da pandemia para o ensino básico. Isso em razão das dificuldades de adaptação à modalidade remota, dos problemas de transmissão e absorção de conteúdo e até mesmo da ausência de recursos tecnológicos para o acompanhamento das atividades.

Se não forem devidamente trabalhadas, essas lacunas podem acarretar obstáculos ainda mais difíceis de serem superados. Cabe à equipe pedagógica uma avaliação detalhada sobre os pontos que merecem especial atenção e uma prática assertiva que consiga recuperá-los. Essa ação exige muita dedicação e se apresenta como essencial para que a trajetória acadêmica dos estudantes não seja prejudicada.

Envolver os estudantes no processo educacional

O abandono escolar continua sendo um dos grandes entraves da educação brasileira e, com a pandemia, os números aumentaram ainda mais, sobretudo no ensino público. Portanto, o retorno às aulas presenciais marca um momento crucial para trazer de volta os alunos e engajá-los no processo educacional.

Faz-se fundamental o mapeamento da situação dos estudantes e o empenho em mantê-los motivados na escola. Para esse fim, as experiências de aprendizado devem ser atraentes e acolhedoras, capazes de fazer com que eles se sintam pertencentes e parte fundamental do ambiente escolar.

Nesse caso, as vivências adquiridas com o uso da tecnologia podem contribuir para adicionar dinamicidade e interatividade à transmissão dos conteúdos. No entanto, essa utilização deve ser pensada dentro de um planejamento pedagógico adequado para que seja realmente relevante. A contextualização com a realidade social e a aplicabilidade dos conteúdos também contribuem para que o aluno se envolva na produção de conhecimento e, consequentemente, para uma aprendizagem mais significativa.

Desafios educacionais e novas oportunidades

Os desafios educacionais sempre estarão presentes na educação brasileira, mas, em razão da pandemia, alguns se intensificaram. Apesar das adversidades, a circunstância também possibilitou repensar pontos que já necessitavam de melhorias mesmo antes do distanciamento social.

Esse é um momento decisivo, que exige uma prática transformadora e efetiva para amenizar as perdas e fomentar a aproximação da escola. Já que a formação educacional é necessária para a autonomia e o desenvolvimento cognitivo e psicossocial dos sujeitos.

Dessa forma, contar com quem entende do assunto para viabilizar a execução de aperfeiçoamentos de processos é essencial. A TecnoTrends, desenvolvedora da Plataforma Sagres, está desde 1993 no mercado proporcionando soluções inovadoras para sistemas educacionais.

O SAGRES Ensino Básico é um sistema desenvolvido especialmente para Secretarias de Educação com o objetivo de padronizar processos, atender alunos, docentes, pais, responsáveis, servidores através da web, otimizando o uso eficiente de recursos financeiros, humanos e materiais, focando nos indicadores de eficiência da Gestão Municipal e, sobretudo, da Educação Básica.

Quer saber mais sobre o que a Plataforma Sagres pode fazer pela sua instituição? Acesse!

Compartilhar:
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on facebook
Share on twitter